Entre os produtos doados pela Panasonic para ajudar as vítimas do terremoto e tsunami na região de Fukushima no Japão estão 4 mil lanternas cuja bateria pode ser recarregada com a luz do sol.

Esse produto tem uma história interessante já que ela foi criada à partir de uma consulta feita pelo governo de Uganda para a Sanyo (hoje uma empresa da Panasonic) em 2006 que procurava uma fonte de iluminação que substituísse o uso de lampiões a querosene nas regiões não eletrificadas do seu país, cujo custo da compra desse combustível além de pesar no orçamento das famílias mais pobres ainda causava problemas de saúde devido à exposição à fumaça preta gerada pela queima do mesmo.

O resultado desse diálogo foi a lanterna ENL-L1EX que utiliza um pequeno painel solar que carrega sua bateria de Ni-MH de 2,4 volts x 3,2 Ah que alimenta dois LEDs brancos de 0,5 watt cada e proporciona iluminação por até 5 horas no modo High ou até 20 horas no modo Low. Ela também pode ser usada como luz pisca-pisca (para sinalização) e ser recarregada via tomada elétrica ou bateria de carro.

Nesse lote de lanternas, a Panasonic também incluiu um segundo modelo — a NL-L660PV3 — de maior autonomia (26 horas no modo High, e 52 horas no modo Low) e possui até uma saída USB que pode ser usada para recarregar pequenos dispositivos como telefones celulares.

Esses produtos foram encaminhados para as prefeituras de Iwate, Miyagi e Fukushima junto com outros itens como 10 mil rádios, 500 mil pilhas e 300 milhões de ienes em dinheiro. A Sony também fez uma doação semelhante na forma de 30 mil rádios, 125 televisões, 500 mil pilhas, cobertores e DVDs além de 300 milhões de ienes em dinheiro. A empresa ainda promove uma campanha de coleta de donativos entre seus funcionários e para cada iene doado ela se compromete a contribuir com mais um iene adicional.

Mais informações aqui.