Máquina de fazer pão a partir de grãos de arroz criada pela Sanyo agora faz parte da linha Panasonic.

Quando a Panasonic anunciou a venda de boa parte da divisão de linha branca da Sanyo para a Haier, o que mais preocupou os consumidores japoneses nem foi a perda de mais uma fábrica para os chineses, e sim o que seria da GOPAN, sua adorada linha de panificadoras domésticas que por lá vende mais que pão quente (630 mil unidades só em 2010 e previsão de mais de 1 milhão em 2012). A resposta veio logo em seguida, com o pessoal de Osaka afirmando que alguns produtos da Sanyo iriam continuar no mercado sob a marca Panasonic.

Assim conforme promessa de campanha, a Panasonic anunciou sua primeira GOPAN modelo SD-RBM1000:

Para quem nunca foi apresentado, a GOPAN — abreviação de GOhan (arroz) + PAN (pão) — é uma máquina de fazer pão (duh!). Só que no lugar da farinha de trigo, ela utiliza grãos de arroz cru que são triturados pelo próprio equipamento e que, junto a outros ingredientes, como água, sal e fermento, é capaz de preparar uma forma de pão em aproximadamente 3h20m.

Interessante notar que a Sanyo já tinha uma panificadora desse tipo desde 2003, só que ela usava farinha de arroz e não fez muito sucesso devido à dificuldade de encontrar esse ingrediente no varejo.

Assim os engenheiros da Sanyo passaram anos tentando descobrir um meio de usar grãos de arroz em vez de farinha. A grande sacada veio de um engenheiro da divisão de panelas elétricas, que sugeriu que os grãos ficassem de molho para que amolecessem antes de serem pulverizados. Assim o que a Gopan produz é uma pasta de arroz e não uma farinha seca.

Fora isso foi desenvolvido um novo sistema de mistura formado por dois motores: um de alta velocidade de para pulverizar a mistura de grão de arroz com água (como em um liquidificador) e outro de baixa velocidade para mexer a massa do pão. Isso foi possível graças a uma mãozinha do pessoal da fábrica de aspiradores e de bicicletas elétricas que ajudaram a desenvolver um motor duplo e reversível ligado a um único sistema de lâminas.

Por trás da GOPAN existe toda uma estratégia de longo prazo, já que com ela a empresa espera aumentar o consumo de arroz no Japão, que tem decaído nos últimos anos. Além disso, o arroz está disponível o ano todo e é produzido localmente — o que contribui um pouco para a auto-suficiência de alimentos do país — ao contrário do trigo importado cuja logística e custo de transporte gera CO2 que vai pra atmosfera, que aumenta o efeito estufa, que altera o clima do planeta e (…o resto vocês já sabem).  Sob o ponto de vista nutricional, o pão de arroz não contém glúten e pode ser consumido por pessoas alérgicas a trigo e também por pessoas idosas — um público que tende a crescer cada vez mais por lá.

A nova GOPAN da Panasonic incorpora algumas novidades como funcionamento mais silencioso e a possibilidade de adicionar arroz integral à receita para fazer um pão mais saudável. A previsão é que ela chegue ao mercado japonês em meados de dezembro com preço a ser anunciado.

Mais informações aqui.