Aspirador-robô: você ainda vai ter um. Talvez não agora: aparelhos como o novo LG Hom-Bot (VR5902KL), recém-lançado no mercado brasileiro, ainda são itens caros para o meu (ou o seu) bolso. É o típico produto que dá pra considerar inútil à primeira vista, mas que prova seu valor a cada uso.

Se tem quem pague R$ 2.000 num smartphone, por que não economizar mais uns trocados e levar o robozinho para casa (preço médio sugerido de R$ 2.999), né?

E para quem é o LG Hom-bot? Gente atarefada, que não tem tempo de limpar a casa por cima (o aparelho não substitui uma faxina completa realizada por humanos), solteiros com casas/apartamentos pequenos, quem tem bicho e odeia limpar os pêlos da casa todo dia. Gente que dá festinhas no final de semana e tem preguiça de limpar o chão depois.

O Hom-Bot não limpa cantos, mas entra embaixo da cama (algo que é um saco de fazer), tira a poeira superficial e o mais legal: faz isso rápido (teste prático: banheiro limpo em 3 minutos, quarto – incluindo embaixo da cama – em 5 minutos).

A interação do Hom-Bot com outros bichos (no meu caso, gatos) é ótima: o robô vai para um lado, o felino para outro. O maior risco que você pode oferecer ao seu aspirador robótico é a empolgação de crianças, que vão achar que ele é um brinquedo. Em pouco mais de dez dias com o Hom-Bot em casa, os sobrinhos (oi Maia, oi Bena!) e o filho de uma amiga (oi Igor!) pularam na frente, ficaram alucinados com a voz humanóide e os “bleeeps” do Hom-Bot, tentaram bloquear o caminho.

Logo, se você tiver um Hom-Bot e filhos, ensine logo que aquilo não é brinquedo – e quando vierem as visitas, esconda o aparelho. Ou você vai suar frio ao ver o equipamento de 3,2 kg e 360 x 90 mm ameaçado por pulos e gritos.

E como ele funciona? Como dá para ver na foto que abre este post, o Hom-Bot tem um sensor frontal e uma câmera superior para mapear o ambiente. Desse modo, ele entende até onde pode ir e não pode ir (entra embaixo da cama, mas não espaço apertado, não bate em parede, não cai da escada) e faz uma limpeza superficial rápida (limpa poeira/detritos pequenos/cabelos/pêlos, mas não pedaços de sujeira maiores – como uma migalha de pão propositadamente deixada no meio do caminho).

Na parte traseira estão os botões de controle (esqueça-os, já que vai usar mesmo o controle remoto), outro sensor infravermelho e a saída de ventilação do aparelho.

A carga da bateria é feita em uma base que fica no chão e que o Hom-Bot encontra sozinho (yay!). A duração estimada da bateria fica em torno de 60-75 minutos, mais que suficiente para limpar uma casa de 80 metros quadrados sem carpetes no caminho (ele não limpa tapetes ou carpetes). Ao acabar a carga ou a limpeza, o Hom-Bot volta automaticamente para a base de recarga.

Ao abrir a tampa superior do Hom-Bot encontramos o compartimento de pó (uma sacada muito esperta, já que não é preciso trocar um saco sujo de poeira como nos aspiradores old-school).

Uma olhada mais de perto no encaixe da gavetinha de poeira dentro do Hom-Bot:

E na gavetinha – por trás (sim, fica empoeirado e é bom limpar sempre):

A tampa é presa por uma trava lateral…

E um filtro traseiro evita que a poeira/resíduos sejam sugados para o motor do Hom-Bot.

O compartimento de pó após limpar meu banheiro (sujo com migalhas de pão e outros detritos propositadamente).

Todo o show do Hom-Bot é comandado pelo controle remoto: inicia o processo (botão Start, que começa a limpar no modo “espiral”), retorna o robô à base carregadora (Homing), botões de direção para controle manual (e que fazem “ping” a cada toque, algo bastante irritante), spot (para limpeza localizada), timer (programar a limpeza) e outros dois modos automáticos mais eficientes: zigzag e por célula (faz um zigzag e se move na diagonal no ambiente).

Na prática, o LG Hom-Bot funciona assim:

Ao ligar o aparelho, ao iniciar a limpeza e ao terminá-la, ao começar e terminar a carregar a bateria, o Hom-Bot fala – até demais. Seria interessante ter um controle de volume no robô, já que no processo de limpeza a fabricante faz questão de ressaltar seu pouco ruído (61 dB) – algo comparável a uma conversa normal.

 

Virando o bicho de cabeça para baixo, vemos o Hom-Bot de uma maneira mais próxima de um aspirador normal: duas escovas laterais varrem a sujeira periférica e arrastam para a escova principal. As duas rodas emborrachadas oferecem tração ao aparelho, mas ele “trava” se esbarrar com um pé de cadeira mais alto ou um desnível acima de dois centímetros de altura. Demais rodinhas ajudam na rolagem, os dois sensores para recarga da bateria estão ali na frente. Dá ainda para adaptar um acessório com um paninho de microfibra para melhorar o desempenho da limpeza.

O Hom-Bot vem com itens adicionais na caixa: o acessório com pano de microfibra, duas escovas auxiliares e um filtro adicional para o compartimento de pó.

Finalmente, uma pergunta curiosa: qual o sistema operacional do Hom-Bot? O manual de instruções traz a resposta na última página:

Linux! Não tenho ideia de como dá para modificar o Hom-Bot, mas deve ser possível de algum modo. Pelo menos dá pra dizer que o Linux finalmente chegou às donas de casa 😛

Sim, o Hom-Bot é caro. Mas, com o tempo, você descobre que ele faz faxina rápido e em locais que você tem preguiça de limpar. Não substitui uma boa limpeza doméstica, é um bom complemento para essa tarefa. A partir do momento que o Hom-Bot mapeia seus locais de limpeza, tudo funciona muito bem. Ele não é o primeiro aspirador-robô a ser vendido no Brasil (o Electrolux Trilobite já está fora de linha), e  pelo menos abre caminho para um futuro mais… limpo.

Resumo: LG Hom-Bot (VR5902KL)
O que é isso? Robô-aspirador de pó para superfícies planas.
O que é legal? Limpa sua casa de maneira rápida e eficiente, volta sozinho para a base de recarga após a faxina.
O que é imoral? Não limpa cantos próximos a paredes, não anda sob carpetes e tapetes, voz automática irritante, volume alto da voz.
O que mais? Diversos modos de limpeza, não usa sacos para armazenar o pó, roda Linux.
Avaliação: 7,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 2.999
Onde encontrar: www.lge.com.br