A máquina portátil de café espresso Twist, da MyPressi, promete e cumpre sua função: fazer café em qualquer lugar, desde que você tenha acesso a água fervendo. É mais um equipamento para impressionar amigos e clientes do que uma máquina de café propriamente dita.

A Twist funciona como uma máquina de espresso convencional, com recipientes para água e pó de café (vem com adaptador para sachês). A única diferença é que ela não funciona ligada a uma tomada, mas sim com um cartucho de pressão.  Por isso você precisa da água quente.

Desmontada, a Twist é assim – e é desse modo que você terá que montar e encaixar as partes. Da esquerda para a direita, o recipiente de água (com filtro com borda de borracha que se encaixa nele e sua tampa) e o recipiente de café, que se encaixa na parte principal da máquina.

Mas o grande segredo da Twist está em sua manopla: a base dela se abre, revelando o local para encaixe da cápsula de pressão.

A cápsula usa óxido nitroso ou dióxido de carbono para gerar pressão dentro da máquina. Não é algo difícil de achar: é a mesma usada em máquinas de chantily ou água com gás (yay!). Cada cápsula permite extrair quatro cafés duplos ou oito simples – é pouco.

Note que a cápsula tem de estar selada na ponta antes do uso. Encaixe na manopla e essa ponta irá se abrir, liberando o gás. Se abrir o contêiner antes do fim do uso previsto, a cápsula de pressão será inutilizada.

O recipiente de café (53 milímetros) aceita entre 18 gramas e 21 gramas de pó, e a máquina vem com um pilão para pressionar o pó. Um adaptador permite usar sachês (não era o meu caso aqui).

As instruções de uso da Twist pedem para ferver a água primeiro, esquentar o recipiente, descartar a água e depois encher de novo. O pequeno contêiner de água armazena o suficiente para uma ou duas xícaras de café. Depois, é só pressionar o botão embaixo da manopla para começar a sair o café.

Na teoria, funciona assim, no vídeo oficial da fabricante (note alguns acessórios opcionais da máquina):

Na prática, é um pouco mais complicado:

O grande desafio da Twist é coordenar a água quente + pó de café (sim, ela precisa ser limpa depois) + xícaras + botão de pressão + o peso da máquina em si (450 gramas). A máquina cumpre o que promete? Sim. Mas mesmo seguindo as instruções, a extração final não ficou muito quente.

Como o reservatório de pó comporta entre 18 e 21 gramas de café, um pouco a menos de café também faz diferença no resultado final – sou fã de cafés curtos e fortes, e o da Twist ficou um pouco aguado, apesar da espuma razoavelmente boa.

O resultado final da extração é esse.

Para comparação, fiz um café na minha máquina velha e boa de espresso, uma Saeco Via Veneto com seis anos de uso. Note o vapor em torno do copo de café – fica BEM mais quente e com mais espuma.

A extração pela máquina Twist, para mim, não fez o melhor café da minha vida (confesso que já bebi cafés piores feitos em máquinas profissionais). O conceito da Twist é incrível, e a prática traz a perfeição no uso da máquina. Ainda prefiro minha máquina semiprofissional, mas se você quer impressionar clientes e amigos no escritório, a Twist é uma boa escolha. Mas use sachês, porque pó de café no escritório vai fazer sujeira (e nessa hora você entende porque as Nespresso são um hit em todo o mundo: fazem um café “limpo”, sem muitos resíduos).

Resumo: Mypressi Twist 
O que é isso? Máquina manual de café com 9 BAR de pressão.
O que é legal? você faz espresso em qualquer lugar, desde que tenha acesso a água fervendo.
O que é imoral? cápsula de pressão dura pouco, precisa gastar cápsulas de gás para encontrar quantidade certa de café para extração perfeita.
O que mais? Traz acessórios como pilão para pressionar o café e adaptador de sachê.
Avaliação: 7,0 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 549
Onde encontrar: Top501