A Samsung deixou claro em diversos momentos do Samsung Forum 2011, que acontece no dia de hoje em Santiago (Chile), que quer ser a primeira em tudo. E entendeu que para perseguir sua meta em TVs 3D precisará correr no desenvolvimento de novas telas capazes de reproduzir a tecnologia 3D sem óculos – seus concorrentes LG e Philips anunciaram recentemente modelos com óculos passivos, iguais aos do cinema.

“Não temos dúvidas de que a necessidade dos óculos é hoje o maior impeditivo para que esse mercado de conteúdo em terceira dimensão se desenvolva ainda mais rápido. Sua vida é em terceira dimensão e só com ela você consegue uma experiência mais realista”, defendeu a este ZTOP José Fuentes Molinero Jr, vice-presidente da divisão de eletrônicos de consumo da Samsung no Brasil.

A corrida, segundo o executivo, promete resultados para logo – mas “não ainda em 2011”. Hoje, os painéis da Samsung ainda não permitem a migração do atual uso de óculos ativos (usada por permitir a exibição em Full HD, diz) para sem óculos at all. “Precisamos trabalhar com cones infinitos para viabilizar a não-descontinuidade da imagem. Precisamos ter elementos tão pequenos que não haja a separação de imagens em segmentos, explica – acrescentando que isso tornaria muito melhor a visualização de 3D por pessoas com problemas de visão como astigmatismo, por exemplo.

Enquanto esse desenvolvimento não se conclui, a Samsung aposta firme na volta do crescimento da venda de TVs de plasma – mercado no qual obteve a liderança no Brasil em janeiro último, de acordo com Fuentes. “Estamos crescendo uma polegada em nossas telas para melhorar a sensação visual. Assim, os modelos de 42 polegadas passam a ter 43 polegadas; os de 50 ficam com 51 polegadas e os modelos de 63, com 64 polegadas. “A experiência 3D no plasma também é muito melhor  – tanto que já oferecemos nove modelos com a tecnologia. Isso sem falar na oferta do Smart TV e no fato de os produtos de plasma serem mais acessíveis para o consumidor”, diz o executivo.

José Fuentes Molinero Jr, vice-presidente da divisão de eletrônicos de consumo da Samsung no Brasil.

E como a Samsung lida com o atual deserto de conteúdo 3D? “Queremos ajudar a disseminar a tecnologia. Por isso, nos aproximamos cada vez mais dos estúdios para oferecer conteúdo aos nossos consumidores. Hoje, quem compra um aparelho Blu-Ray já leva gratuitamente três títulos em Blu-Ray 3D”, vende Fuentes. Outra estratégia é a inclusão, nos aparelhos, de conversores – basta apertar uma tecla no controle remoto para assistir sua programação em terceira dimensão, mesmo que ela tenha sido filmada décadas atrás.