Aqui no Zumo somos fãs declarados das telas de plasma. Será que o mais novo modelo Panasonic P50V20B faz jus ao legado de qualidade extrema de imagem?

Tirando o aparelho da caixa, fica claro o empenho no design. Parece que a Panasonic andou de olho na concorrência coreana. Notavelmente, o acabamento do televisor melhorou em relação aos anteriores. Em metal escuro, é um aparelho sofisticado que combina com qualquer ambiente.

O controle remoto é o clássico da Panasonic: simples e funcional. Não tem os requintes dos concorrentes, como iluminação nas teclas, mas é resistente.

A base da TV, que nunca foi o forte do design da Panasonic, aparece reestilizada. Agora, a peça é uma sólida estrutura oval, revestida do mesmo material da TV, e que ocupa pouco espaço. Ponto para os japas.

A TV não economiza em conexões. O painel traseiro é bem completo. Note a conexão óptica de áudio.

Também há uma entrada de rede na parte traseira.

E o painel lateral não deixa a desejar também com o total de conexões disponíveis.

A tecnologia NeoPDP, novo esquema de fabricação dos painéis, é muito boa. Além de um contraste excelente, a tela tem um novo filtro antireflexivo bem prático. O vidro da tela tem um tratamento especial que dispersa o reflexo sem afetar a qualidade da imagem. O mais bacana: o nível de preto que fez as Pioneer Kuro famosas no exterior está presente na P50V20B.

A P50V20B já vem com conversor digital integrado e também sintoniza o sinal analógico aberto e de TV a cabo não codificado. Ela não é compatível com conteúdo 3D, mas a Panasonic já tem um modelo 3D baseado no mesmo painel NeoPDP (que em breve você verá aqui neste Zumo).

Jogar na P50V20B é uma experiência inesquecível. Como tem uma resposta superveloz e uma resolução dinâmica excepcional, os jogos, mesmo a 60 quadros por segundo, ficam bons. E não importa a quantidade de luz dos ambientes, tudo fica lindo. Jogos escuros têm um contraste profundo e definido, jogos mais claros cores intensas e naturais, sem exageros.

Os 600 Hz de velocidade de atualização realmente compensam o investimento. A Panasonic conseguiu manter a resolução dinâmica praticamente intacta. Na prática, não é perceptível nenhum tipo de perda de qualidade com imagens em movimento. Esse é o maior problema das TVs de LCD: são lindos porta-retratos gigantes, mas é a imagem se mover rápido que vira um show de horrores de borrões. Com a P50V20B, a qualidade é consistente, mesmo em altíssima velocidade.

Henrique comenta (e defende): estou com uma LED 3D de 480 Hz aqui em casa. não é tão porta-retratos assim!

O áudio também sofreu uma melhoria bastante significativa. Os alto-falantes, apesar de aparentemente do mesmo tamanho que nas linhas anteriores, soam muito melhor. O som preenche melhor o ambiente e é mais encorpado, apesar dos meros 20W de potência combinados.

A TV também tem um player de mídia integrado. Ele roda substancialmente mais rápido se comparado aos modelos anteriores. Ele é compatível com JPEG, AVCHD, MPEG2, DivX HD, AAC e MP3. Tudo roda muito bem. O único porém: o player é meio temperamental com vídeos baixados em HD. Se não for codificado à risca nos parâmetros do DivX HD, o vídeo não roda mesmo. Em relação aos concorrentes coreanos, essa é a única desvantagem do player da P50V20B. Em nossos últimos testes, os aparelhos topo de linha tiravam de letra conteúdo baixado em HD. Em compensação, a TV de plasma roda macio qualquer conteúdo DivX SD e vídeos de câmeras AVCHD. Apesar de não dispensar um computador como mídia PC, a TV de plasma dá conta de quase todo conteúdo que se quiser, vindo tanto de pen drives, HDs externos USB e até cartões SD de alta capacidade.

Nagano comenta: Falando em videoconferência pela TV, eu me lembro de ter visto no stand da Panasonic na CEATEC 2010, uma demonstração de um sistema de videoconferência em 3D utilizando sua nova camcorder 3D, um console de comunicação com microfone de mesa e uma TV de Plasma em 3D:

 

Conversando com o pessoal da demo, eles afirmaram que não se trata de uma solução baseada em Skype como usada nas TVs de linha e sim de uma tecnologia própria que poderá ser utilizada no futuro em reuniões de negócios, treinamentos, entrevistas etc.

A P50V20B também oferece conectividade com a web. Ela acessa YouTube e Picasa com desenvoltura satisfatória. Até aí, ninguém vai dispensar o PC para acessar conteúdo na TV, mas a tela de plasma tem um trunfo inpressionante: Skype. Pois é, com uma câmera de alta definição, vendida separadamente, a TV vira um videofone bem decente. Sem dúvida, uma solução bem melhor que as dos concorrentes. Pena que a câmera não funciona no PC, mas não dá para ter tudo nessa vida…

Para economizar energia, a TV também tem uma conveniente chave-geral, localizada no painel lateral.

E por falar em energia, o cabo que acompanha a P50V20B é o notório tridente do capeta, como Nagano sabiamente se refere ao odioso novo padrão de tomadas.  Fazer o quê, é a norma…

É uma pena que a impressão negativa das primeiras plasmas ainda esteja na cabeça da maioria dos consumidores – o que é uma besteira se comparada à qualidade das plasmas atuais. A Panasonic conseguiu de novo fazer um aparelho fantástico, que ultrapassa em todos os sentidos qualquer tela LCD iluminada por LEDs que posa de bacana. É uma afirmação arriscada, mas é fato: esse é o melhor aparelho de TV, em sua categoria (50 polegadas), à venda no Brasil. Não faz sentido pagar mais para ter uma tela LED se há uma opção como essa plasma disponível.

Resumo: TV Plasma Panasonic (TC-P50V20B)
O que é isso? Televisor de plasma Full HD com nova tecnologia NeoPDP
O que é legal? Incomparável qualidade de imagem, com contraste profundo (Kuro!), cores vivas e fluidez de imagens em movimento.
O que é imoral? Apesar do poder do player de mídia, ele não roda todos os sabores paralelos de vídeos HD. Se não for AVCHD ou DivX HD certificado, nada feito…
O que mais? Design mais refinado, tratamento anti reflexivo mais eficiente na tela.
Avaliação: 8,5 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 5.200 (em média)
Onde encontrar: www.panasonic.com.br