Review: Airfryer Philips Walita

A Airfryer Philips Walita é um gadget culinário que promete cozinhar sem usar óleo, permitindo fritar alimentos sem se preocupar com a gordura. Cumpre a promessa? Sim, com o preço de poder demorar mais para ter o resultado final no prato e consumir mais energia elétrica.

O produto, de largas dimensões (287 x 315 x 384 mm, 7 kg de peso), ocupa bastante espaço na cozinha. O corpo da Airfryer tem acabamento de metal e plástico.

Sua operação é simples: basta ligar na tomada, ajustar temperatura desejada para cozimento e o tempo no timer frontal. E, claro, colocar comida na bandeja.

O timer permite usar o aparelho por até 30 minutos seguidos:

O ajuste de temperatura fica no topo da Airfryer (80 a 200 graus):

A bandeja frontal é removível. Dentro dela fica a cesta de alimentos.

Note o fundo da bandeja, com formato para ajudar na circulação de ar. Note que, sem a cesta interna, a bandeja principal fica sem alça de transporte/encaixe na Airfryer.

E a cesta interna, que, bem, é a parte que mais precisa de cuidados para limpar (e, sim, ela suja bastante dependendo do que você colocar ali). A Walita diz que dá para lavar as peças soltas na lava-louças, mas para a gente a melhor solução para desgrudar os restos de comida foi deixar de molho um pouco com água quente e detergente neutro.

A Airfryer vem ainda com uma divisória para a cestinha interna, caso você queira “fritar” dois alimentos distintos – kibes e batatas, por exemplo.

E com uma forma para “assar” alguns outros alimentos (pão de queijo!)

O segredo do funcionamento da Airfryer está na tecnologia Rapid Air: em resumo, é uma resistência que esquenta somada a um ventilador forte no interior (e não visível por aqui) que cozinham os alimentos.

Na prática, isso resulta em pouco barulho:

Finalmente, na parte de trás da Airfryer temos o filtro de ar (que solta ar quente e pode liberar fumaça/vapor dependendo do produto em cozimento). Não encontrei nenhum meio de remover a tampa e limpar o filtro, e o manual de instruções também não cita nada nesse sentido.

Ao lado do timer, as duas luzes de indicação de funcionamento da Airfryer: a verde (timer ativado) e a laranja (aquecimento funcionando).

E um resumo rápido do que dá para fazer sem precisar consultar as instruções do produto. Média de 16 minutos para fritas congeladas, 20 minutos para batatas cozidas e por aí vai. Na prática, sempre levou um pouco mais que o tempo máximo sugerido.

De qualquer modo, o guia para início rápido traz informações rápidas sobre a operação da máquina…

E uma melhor definição sobre como fazer alguns alimentos – e se precisa usar óleo. Acompanha o produto um livro de receitas.

A Airfryer (127V) usa a nova tomada padrão “tridente do capeta” brasileiro, com fio terra e plugue mais grosso (20 amperes). Logo, você precisa de uma tomada nova na sua cozinha para poder usar a fritadeira sem óleo.

Falando em energia, a Philips diz que o modelo usa uma fonte de alimentação de 1.425 W (mais sobre consumo em um próximo post).

Mas, na prática, o que significa fazer alimentos na Airfryer? Algumas coisas vão ficar muito crocantes e parecidas com o real (=frito), outras ficam bem assadas e outras foram feitas para nadar no óleo mesmo.

Batatas fritas congeladas: incríveis, crocantes por fora, macias por dentro. Ponto pra Airfryer.

Nuggets de frango congelados: do tipo “super crocantes”, foram os melhores nuggets crocantes (estupidamente crocantes) que já comi em casa.

Kibes congelados: ficaram mais ressecados que um kibe frito, mas o sabor não se perdeu.

Detalhe do nugget:

Batatas cozidas (primeira tentativa) + alho: ficou bom, mas não deu muito certo porque escolhi usar a forma, não a cesta direto. Então não “fritou” direito. Coloquei um pouco de azeite para ajudar – pelo menos o alho ficou bem frito e crocante.

Bolinhas de queijo congeladas: fuja de fazer qualquer coisa com queijo dentro na cesta principal. O queijo vai fugir para o fundo da panela e, bem, você terá bolinhas sem recheio. E gruda na grade que é uma beleza…

Pão de queijo com catupiry: feito na assadeira, ficaram bem assados (mas, como ocorreu com as bolinhas de queijo, o recheio também fugiu). Crocantes por fora, macios por dentro.

Pão com manteiga:  descoberta sensacional ao acaso. Sabe aquele momento “será que dá para esquentar pão?”. Dá sim, mas tem que tomar cuidado para a casca do pão não ressecar demais e ficar dura.

Batatas sorriso congeladas: iguais às feitas no forno elétrico, sem óleo, ficaram crocantes por fora, macias por dentro.

Banana nanica com açúcar: outra descoberta ao acaso, ficou bem gostosa – soltou água e (claro) grudou na grelha. Refiz com banana menos madura e criou uma espécie de casquinha ressecada em volta, igualmente deliciosa. Atenção ao colocar açúcar: vai deixar a casa cheirando caramelo…

Mais pão de queijo na forma. Olha o super-catupiry fujão aí.

Macarrão cozido frito: outro “acidente”, foi cozido sem molho (claro) com um pouco de azeite. Tira-gostos incrível.

Mas nem tudo é crocância: fiz um filé de frango à milanesa na Airfryer (ficou seco demais, mesmo com um pouco de azeite sobre os bifes)…

E nem se comparam aos filés fritos no óleo. Vai, gordinho!

Finalmente, mais batatas cozidas, agora do modo certo. Crocantes por fora, macias por dentro. Airfryer, aprovada.

Apesar do resultado incrível na maioria das coisas, é preciso lembrar de três coisas:

1) o tempo de cozimento com a Airfryer pode ser bem maior que em comparação com uma frigideira cheia de óleo. As batatinhas feitas na Airfryer levam pelo menos 15 minutos (e mais 5 para dar uma douradinha básica). É um tanto o caminho oposto da fast-food das frituras: sim, é “frito”, mas é saudável e não é nada “fast”.

2) a Airfryer não frita grandes quantidades de alimento por ciclo. Ok, cabe meio quilo de batata congelada (1 pacote), ideal para uma refeição com outros itens no cardápio feitos no fogão, mas não dá para dar uma festa e encher os amigos (ou os amigos dos filhos) a noite toda. O ciclo é mais lento, então… já sabe. E nem pense em estourar pipoca ou superlotar a Airfryer: vai dar encrenca por conta da resistência enorme ali no topo.

3) a Airfryer deixa a cozinha cheirando muito bem a comida, mesmo instantes após colocar o alimento ali (tente algo com canela…). E eu estou com fome ao escrever este texto.

Para quem é a Airfryer? Famílias com crianças pequenas que querem fugir da fritura, solteiros que querem fugir da fritura, gente em geral que quer fugir da fritura e tem bastante espaço sobrando na cozinha. É caro? Sem dúvida, por ser um produto único no mercado brasileiro. O preço sugerido de R$ 1.199 é alto para um eletrodoméstico, mas vale o benefício de variar a dieta com itens sem óleo ou com bem menos gordura.

Resumo: Airfryer Philips Walita 
O que é isso? Eletrodoméstico para fritura
O que é legal? Fritar alimentos com facilidade sem precisar de óleo ou gordura.
O que é imoral? Sujeira na grade pode ser difícil de limpar, alto consumo de energia.
O que mais? Vem com livro de receitas, usa a tomada “tridente do capeta” de 20 amperes.
Avaliação: 7 (de 10). Entenda nosso novo sistema de avaliação.
Preço sugerido: R$ 1.199
Onde encontrar: Philips

 

40 thoughts on “Review: Airfryer Philips Walita”

  1. Prefiro fazer as coisas na minha sanduicheira elétrica! Pelo menos o nuggets fica sensacional (MUITO melhor do que qualquer um que eu já comi pingando óleo)! =)

  2. Aquele trololó de fazer suco chegou ao mercado custando R$1.000, os clones dele custavam R$700. Hoje, os clones já estão abaixo de R$200. Então, há uma esperança.

  3. MEGA-REVIEW culinário…

    faltou passar sob a mesa 😀

    Agora é só esperar sair uma versão mais barata no mercado livre.

  4. Putz! E eu que comprei a versão da ARNO. De boa, acho que é melhor do que esse ai, mas file a milanesa foi um #fail animal hein Henrique! kkkkkkkk

  5. Faltou fritar uma mandioca para tomar junto com o “chopps” da Renata Mesquita.

  6. E o consumo de energia? Uma resistência dessa deve consumir igual a um chuveiro?

  7. Henrique, isso é sensacional!

    Mas para meu amor por isso ficar incontrolável eu preciso saber: Dá pra fritar coxinha (tipo aquelas de festa) nisso aí sem problema nenhum?

    1. sim, acho que o resultado é o mesmo da bolinha de queijo, pela consistência da massa/casquinha.

  8. A Actifry (Arno/T-Fal) não tem a grade, tem maior capacidade e tem uma “pá” para mexer e deixar tudo homogêneo com a “dose” de óleo/azeite; ah claro, sem contar que é mais barata… tah, nem tanto!
    Os sistemas me parecem diferentes… bom, ha uma comparação entre as duas fritadeiras feita pela DECO PROTESTE, bem interessante; aos interessados segue o link: http://www.deco.proteste.pt/cozinha/philips-airfryer-e-tefal-actifry-fritadeiras-sem-oleo-nao-convencem-s641721.htm

  9. obrigada pelas dicas!!!! desde que comprei a minha, as unicas coisas que ficaram boas foram: batata assada e frango a passarinho.Sim, demora um pouco, mas não nada na gordura e fica igualmente corante, porem gruda na grade…

  10. Henrique, o princípio básico da fritura é trocar a água que está no alimento por óleo, é por isso quando fritos, os alimentos ficam saborosos e crocantes. Tudo o que você citou que ficou bom no Air Fryer: batata frita congelada, nuggets, batata smile, kibe congelado são alimentos PRÉ-FRITOS! Pode ler a embalagem, eles já saem de fábrica fritos, a água já saiu, a gordura já entrou e só o que vc faz em casa é aquecer em um ambiente que tira a água do congelamento (forninho, forno convencional, fritadeira, air fryer) e doura. Isto significa que, mesmo quando aquecidos em casa “sem uma gota de óleo”, estes alimentos na verdade já estão cheios de óleo e gordura saturada e NADA saudáveis. De resto, tudo mais que vc preparou (pão de queijo, pão com manteiga, banana caramela, etc) podem ser feitos no forno convencional ou no elétrico, com custos muito mais baixos e mais praticidade. Minha conclusão é que este aparelho, além de caro, é completamente desnecessário.

    1. essa é das minhas… arrebentou!!! conseguiu dizer tudo que penso sobre essa mania que todos querem comprar nos dias de hoje…. puro modismo!

    2. isso é desculpa de quem não tem uma maquina dessa…. pura dor de cotovelo…

    3. bem eu acabei de fazer linguiças de peru e ficaram otimas. obviamente elas nao estavam pre fritas. acho q os exemplos escolhidos foram todos “gordos”, soh isso. ou vao querer argumentar q eu fiz omelete do meu almoço com ovos pre fritos tb?

      1. Linguiça já têm gordura, não precisa fritar, é só colocar na frigideira sem um pingo de óleo que fica uma delícia! E omelete e ovo mexido dá pra fazer até no microondas, sem um pingo de gordura…
        O meu post foi apenas para apontar que não existe milagre, não existe fritura sem gordura. O que a máquina faz (ainda que usando outros processos) é muito similar ao que outros equipamentos domésticos já fazem, de maneira que não há necessidade de gastar 1000 em algo que um forninho de 200 dá conta. Mas no fim, cada um usa o dinheiro como acha melhor… o meu, por exemplo, eu prefiro usar racionalmente …

        1. bem, jah que vc obviamente entende muito mais sobre o processo que todo mundo, vc poderia compartilhar de sua lucidez com os mortais e explicar racionalmente de onde sai a gordura que fica no deposito depois da de fritar com o aparelho. E se vc puder me passar a marca do seu microondas e/ou forninho caso ele faça a mesma coisa eu ficaria agradecido.

  11. Mas apesar de todos os alimentos já conterem óleo na sua composição, é bem mais sudável fazê-los no Air Fryer do que mergulhados na gordura.

  12. Eu comprei a Fritadeira e ja a tenho a 6 meses e estou adorando comer alimentos com ZERO de óleo…alias a questao da limpeza da parte interna é a minha unica interrogação, no mais esta aprovadissima, um colega comprou uma similar e simplesmente se deu mal….kkkkkkk

  13. Quero dar uma outra dica na hora de preparar alimentos….para evitar uma borra de sujeira grude no fundo da penela, adicione um pouco de água (somente água) para evitar que o alimento caia e não grude.

  14. Pingback: Review AirFryer
  15. Hoje fiz um peixe empanado com fubá, e foi um horror!!! Farinha pela cozinha toda , inclusive pela grade traseira do filtro. Como faço para limpá-la? Esta grade sai? O manual não ensina isso. Por favor, vocês podem me auxiliar?

  16. Boa noite

    Comprei a Airfryer digital, mas fui fazer asinha de frango e ta saindo muita fumaçã, é normal?

  17. Realmente o produto é maravilhoso, mas há algo que as empresas não costumam informar aos seus clientes e que traz um grande problema no produto.
    Tenho ele a mais de 2 anos e sempre utilizo-o para fazer comidas, sejam elas qual for.
    A limpeza do cesto é algo muito simples e não há qualquer complicador nesse sentido. Porém, o grande acúmulo de GORDURA que fica na parte superior, ou, como dizem, na tecnologia Rapid Air, é grande e muitas vezes desapercebidos, tenha de se jogar a comida fora.
    O motivo, nada mais é o que o acúmulo dessa gordura ao derreter, emite um grande fedor e cai sobre a comida deixando-a com um sabor péssimo.
    Por três vezes decidi-me por limpá-lo, algo não tão fácil devido a dificuldade de acesso ao local e ser muito estreito. As grandes crostas de gordura que também se acumulam, tornam difíceis sua retirada.
    Infelizmente, na última vez que me embrenhei nessa aventura, tive o fio que liga a resistência arrebentado e ainda não entrei em contato com algum suporte técnico para averiguar como posso fazer para resolvê-lo.
    Mais uma vez o produto é excelente, mas CARECE em muito de melhorias a fim de que possa ser higienizado e a comida não venha ser contaminada pela gordura fétida que se acumula no sistema Rapid Air.

Comments are closed.